• PR “passa perna” à Câmara de S. Nicolau na Homenagem a Padre Mauro

    Governo e Presidência da República roubam iniciativa da Câmara Municipal de S. Nicolau, e Pedro Pires concede passaporte nacional ao padre Mauro

    Governo e Pedro Pires ignoram e discriminam Poder Local

     

    A Comissão Concelhia do Movimento para a Democracia,

    em S. Nicolau</personname> posicionou-se contra aquilo que considera ser falta de respeito pelo poder autárquico legitimamente instituído pelo povo, nas autárquicas de 2004, por parte do Governo e da Presidência da República. Desta forma, diz uma nota chegada à nossa Redacção, põe-se em causa “o são relacionamento institucional prescrito na Constituição”, para além de afirmar que atitudes do tipo “envergonham a Nação e desacreditam o País”

    É que segundo a Comissão Concelhia do MpD/S. Nicolau, em Junho último, a então Câmara Municipal de S. Nicolau, numa missiva “devidamente justificada” propôs ao Governo que fosse concedido ao Padre Mauro um passaporte nacional “em sinal de reconhecimento da nação” pelo seu trabalho em prol de Cabo Verde, particularmente das ilhas do Fogo, Brava, Santo Antão e S. Nicolau. No nosso país desde <metricconverter w:st="on" productid="1949, a">1949, a</metricconverter> Câmara de S. Nicolau entende que era chegada a hora de agradecer ao padre Mauro pelo seu trabalho com “desvelo” por estas ilhas.     

    Segundo a nota, em Outubro último, na sequência do silêncio do Governo, o presidente do município da Ribeira Brava, na sua então deslocação à Praia, reuniu-se com o ministro da Administração Interna, com quem abordou, de entre outros, a questão do agraciamento do Padre Mauro Cismondi, tendo recebido garantias que a questão estava sendo estudada.

    Entretanto, o município não foi informado da decisão do Governo e oficialmente não soube da homenagem ao sacerdote italiano, que, apesar dos seus 87 anos continua a trabalhar abnegadamente pelo povo de S. Nicolau.

    Descontente, o MpD/S. Nicolau faz saber que “o senhor Pedro Pires vem a São Nicolau, diz ele a convite da Comissão Instaladora do Município do Tarrafal e, segundo noticiou a Comunicação Social, ele vai condecorar, naquela Vila, os padres Mauro e Gesualdo Fiorini e entregar-lhes um passaporte nacional”. O que aquela Comissão Concelhia não compreende é o facto deste pormenor não constar da nota que a Presidência enviou à Câmara Municipal sobre esta visita a São Nicolau.

    Para além da Câmara da Ribeira Brava não ter sido convidada para a cerimónia, é de salientar que o padre Mauro é mantém residência na Vila da Ribeira Brava.

     

    Gesualdo é outro caso

     

    No entanto, a mesma nota do MpD esclarece que a Câmara de S. Nicolau não chegou de propor idêntica homenagem ao padre Gesualdo, outro missionário que tem dedicado sua vida àquela ilha, por considerar que, contrariamente ao padre Mauro, ele já recebeu várias manifestações de reconhecimento público: afirma que o seu nome foi emprestado a uma rua, no Tarrafal, a um jardim infantil, naquela zona e a uma escola no Cachaço  

    A Comissão Concelhia do MpD/S. Nicolau diz que “deste Governo e deste Presidente tudo se pode esperar”, concluindo, afirmando que este comportamento figura o “resgate dos valores e a ética tambarina”.


  • Commentaires

    Aucun commentaire pour le moment

    Suivre le flux RSS des commentaires


    Ajouter un commentaire

    Nom / Pseudo :

    E-mail (facultatif) :

    Site Web (facultatif) :

    Commentaire :