• Mala com 120 mil euros apreendido no Aeroporto da Praia

    A Polícia Judiciária cabo-verdiana está neste momento a investigar a origem de uma mala descoberta pelos oficias de Alfândega da Praia contendo dentro dela perto de 120 mil euros (cerca de 13 mil contos cabo-verdianos) e que, alegadamente, pertencia a um indivíduo na casa dos 20 anos. Esta descoberta aconteceu há alguns dias atrás, numa operação de rotina dos oficiais de alfândega, no Aeroporto da Praia.

    Segundo pudemos apurar, ao passageiro foi solicitado que abrisse a mala, como acontece muitas vezes ao levantar a bagagem nos voos internacionais, e quando há suspeita que possa haver alguma mercadoria sujeita a despacho alfandegário. Só que desta vez, para espanto dos oficiais era uma mala cheia de dinheiro.

    Este assunto tem incomodado muita gente envolvida no processo de apreensão, até porque não se sabe ainda a origem da mala, sabe-se apenas que chegou de Portugal -, e que a terá transportado. Para algumas pessoas contactadas pela nossa redacção este é um caso de polícia e por isso recusam falar no assunto.

    Foi o que aconteceu por exemplo com o director da Alfândega da Praia, Joaquim Sena Silva a nos remeter para quaisquer informações à Polícia Judiciária.

    Por sua vez, o Director Central da PJ confirmou o “achado” recusando no entanto adiantar mais pormenores sobre o assunto que está a ser investigado pela Secção Central de Investigação e Tráfico de Estupefacientes.

    No campo das especulações, várias hipóteses já foram colocadas. E uma delas é a lavagem de dinheiro. Não se sabe de que proveniência.

    Outra hipótese é esse dinheiro ter chegado a Cabo Verde para financiar algum partido político, tendo em conta que as eleições legislativas de 22 de Janeiro estão à porta e, como é do conhecimento dos cabo-verdianos, existe um partido político cabo-verdiano que utiliza o método de compra de consciência para ganhar os votos na urna em Cabo Verde.

    Este assunto, já é do conhecimento de alguns dirigentes políticos que manifestaram a sua preocupação a este Semanário: há dias ouvi um dirigente tambarina dizer num bar, não sei se estava com uns copos ou não, mas este estava a dizer a uma senhora para não se preocupar porque vão ganhar as eleições. E a expressão que ele utilizou é que estão a nadar em dinheiro”.

    É preciso levar em conta também que uma das instituições do país que está neste momento numa operação de esperança sem precedentes retirando os Bilhetes de Identidade a alguns cidadãos em troca de dinheiro... que nunca mais chega. Algumas dessas pessoas já vieram inclusive denunciar o caso a este semanário. Um caso a seguir nas próximas edições com atenção e ...preocupação. Cabo Verde não pode ser um país de fraude eleitoral.


  • Commentaires

    Aucun commentaire pour le moment

    Suivre le flux RSS des commentaires


    Ajouter un commentaire

    Nom / Pseudo :

    E-mail (facultatif) :

    Site Web (facultatif) :

    Commentaire :